No teu cabelo branco (dedicado ao meu pai)

No teu cabelo branco
Sossego a minha alma
E descanso a minha mão
No teu cabelo branco
Sint’ a ternura aprendida no tempo
Sint’ amargura dos’ ideais perdidos
Sinto qu’ amas’ o amor que te traz vivo...
No teu cabelo branco
Eu encho a minha mão
De sabedoria
Do sentir aprendido
Do escutar escutando
Do viver vivido
E sinto que no teu cabelo branco
Como espuma de mar salgado
Eu banho o meu ver
Em águas de saber
Nas delícias do teu saber!
Em mares de sabor
Que julgo...
navegar não poder!....
Porque a ti não chego meu pai!

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTO DE COMENTÁRIOS