"ANA CIGANA"

É lindo seu nome... chama-se Ana !...
Pequena, criancita e só !...
De frio tiritando a cigana,
descalça, gelada, mete dó.

No seu rosto talhado a dor,
como em pedra dura e fria,
nunc’ ela, por certo, teve amor...
desapar’ ceu ced’ alegria !...

É para mim apenas “criança”...
inocente... inocente que sofre !...
Ninguém para ela tem lembrança...
.......................................................
Morreu hoje, tão cedo de chofre...
nasceu-lh’ hoje tão cedo a paz...
jaz’ aqui sozinha nesta estrofe !

Sem comentários:

Enviar um comentário

GOSTO DE COMENTÁRIOS