"Numa folha branca"

Numa folha branca
traço traços e rabiscos,
também alguns riscos...
no decorrer do sentimento
do qu’ a alma sente
no doer do desalento!
Numa folha branca
os segredos conto...
e conto algum conto!
Traço a poesia
falo d’ amor
arranho a minha dor
gatafunho paradoxos...
e uma simples folha de papel
branca já não é.
Tem alma
calma
riso
choro
dor
tem ira também!...
É grito de emoções
é um ser o que se quer ser!
Nela me liberto,
ergo a voz...
é folha que fala
o qu’ a boca cala.


____________________

ATENÇÃO
Já encontrei este poema na internet com o nome de outras pessoas como se fosse da sua autoria, levando-me a ter duas brigas graves por causa dele, inclusive com uma Diretora Executiva de uma escola pertencente à Direcção Regional de Educação do Norte e ainda um poeta residente na Alemanha que ia editar um livro de poesia com este poema estava lá incluído, prontinho para edição.
Tomei conhecimento disto, através de um colega do Ministério da Educação que o descobriu ao fazer uma busca pelo título do poema. A partir desse momento pesquisei intensivamente para descobrir os endereços dessas pessoas e contactei com elas.
Portanto aviso todos os "poetas" que estejam acautelados para estas situações.


Margarida A Tavares

1 comentário:

  1. Olá Boa Noite..
    Tenho lido os seus poemas e custa-me destacar algum, porque todos eles estão muito bons, cheios de sentimento e com as palavras q.basta.. é assim que eu também vejo a poesia, condensar um sentimento no minimo de palavras..
    Parabéns!
    Agora ando arredado do meu blog, pois aderi ao site da "Galeriaaberta.ning.com" onde escrevo mais...deixo-lhe aqui um convite para me visitar e porque não, inscrever-se também... um Abraço.
    Bruno

    ResponderEliminar

GOSTO DE COMENTÁRIOS